quarta-feira, 3 de março de 2010

Pouco importa

É só fechar os olhos e sentir a paz
Que você me desperta cada dia mais
Não quero saber
Só quero querer sem ter que entender
O que é incógnita é bem mais prazer.
Eu desperto com seu olhar
As vezes nem é na minha direção
Mas basta eu te ver que minha emoção desperta
como se fosse erupção.
Nem sei se é amor
Que dirá paixão
Nem quero entender
A força que me faz sorrir
Que me faz bem
Sensações,desejos,impulsos
Eu já perdi a conta
Mas sempre tudo renova
como se fosse a primeira vez
Interrogações eu não as ouço
O que busco não tem respostas...só reticências.
Não me incomoda.
O que eu sinto é mais intenso e quando há intensidade pouco importa.
Lília Amorim Registrada na BN Plágio é crime!

5 comentários:

  1. Adorei o poema
    é intenso e maravilhoso
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo e profundo cada palavra colocada neste poema, estou seguindo em seu blog, ok?

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Belíssima poesia, Lilia!
    Parabéns!

    Abraço

    ResponderExcluir